A PLASTICIDADE DOS INFLUENCIADORES DIGITAIS

By Juliana Machado - 09:34


Você já ouviu falar em Thácia Naves, Bianca Andrade, Nah Cardoso, Hugo Gloss, Kim Rosacuca, Mariana Saad, Kéfera, Jade Seba?
O que eles têm em comum? 
São Influenciadores Digitais, o que outrora se chamava blogueiro/youtuber. O marco da era digital sem dúvida, pelo menos para mim que tive minha adolescência marcada pela época em que a moda era apresentada pelas atrizes, cantoras e modelos, teve seu avanço com as blogueiras que começaram a postar seus looks do dia, antes com peças mais simples que nem eram de marcas conhecidas e, hoje comportam quase todas grifes internacionais no armário que só um terço da população brasileira tem condições de ter. 
Antigamente ainda existia (o que não quer dizer que hoje não exista, entretanto, são poucos os que dão a  devida atenção a plataforma) o blog, onde eles escreviam sobre assuntos diversos que giravam em torno de moda/beleza, truques, dicas e entretenimento e isso era fascinante, porque podíamos sentir que havia uma preocupação em criar um conteúdo para seus leitores. Os youtubers não ficam atrás, sob os mais diversos temas podíamos sentir que tinha uma verdade naquilo que eles transmitiam, sendo entretenimento, maquiagem, moda, dicas, qualquer tema abordado, me parecia que havia um preparo para que aquele conteúdo chegasse até nós.  
Mas a era das redes sociais estava por vir e todo esse cuidado seria perdido ao longo dos anos e em todos os centavos que entravam nas contas dos que hoje, são conhecidos por influenciadores digitais, no próprio instagram você vê na descrição do perfil como “figura pública”.  A indústria fashion investe munição pesada nessas pessoas que são líderes de audiência das redes sociais, mas o que antigamente acontecia espontaneamente, casualmente e despretensiosamente, hoje está parecendo forçado, intangível, inalcançável. As fotos do instagram de influenciadores mais parecem um book de modelo com tanta produção, até uma foto de café da manhã passa por um longo processo de composição para ficar o mais belo possível. A pele de cada um parece porcelana, não sei se por tanto efeito, por produtos caros ou por tratamentos estéticos que custam uma nota e, muitas vezes nenhuma dessas opções são pagas, simplesmente são presentes ou parcerias pagas.
Não é a primeira vez que percebemos que há uma publicidade camuflada dentro de um vídeo do youtuber, ou num post de look ou de maquiagem, numa foto tirada por um fotógrafo top que tem uma edição cujo custo é mais ou menos R$ 600 reais, fora o trabalho do fotógrafo que com certeza, para figuras não tão públicas como “nós”, se fossemos contratar, teríamos que pagar e não seria barato.
Não é novidade que muitas vezes os influenciadores apresentam tal marca para seus seguidores com muitos elogios, porém no fim das contas, não usam. Com certeza você já viu muita gente fazendo publicidade para smatphones como a Samsung, ou o ZenFone, mas o que eles realmente usam é um Iphone. Nada contra, mas o mínimo de veracidade com a propaganda é o que merecemos não acham?


Um mundo de verdades absolutas como “esse é o melhor hidratante do mundo”, “vocês precisam ter esse produto em casa”, “vocês nunca vão ver algo tão bom como este produto”, uma teia de elogios para coisas e produtos que não são baratos e elas não estão pagando para ter, pelo contrário, estão recebendo. Mas, aquele discurso de que só uso aquilo que verdadeiramente gosto, sim, existem alguns que possuem opinião firme, mas tem os que prefere a conta com mais dígitos.
É sobre isso que estamos retratando, é sobre quanto mais os cachês estão falando alto do que a opinião própria, é sobre a plasticidade de um mundo virtual regido por belas fotos com paisagens incríveis, é sobre o ter o não o ser.
Em meio a tantos burburinhos sobre a plasticidade e as mentiras no universo dos influenciadores digitais, estamos sentindo falta de dias de verdade, espinha no rosto, dificuldade para emagrecer ou engordar, café da manhã só com frutas ou com o tradicional pão com manteiga, aquela neura que a pessoa tem há anos e precisa se libertar, ou aquela situação do dia-a-dia que faz a gente refletir.. é o ser gente de verdade, que nos apresente coisas que temos condições de adquirir, situações que podemos refletir e resolver, ou sentimentos que estavam adormecidos e que por meio desta pessoa conseguimos acorda-los.
Todos querem ser iguais a alguém, custe o que custar, ou melhor, custe o quanto custar. Pessoas não compram produtos, compram uma imagem, um ideal. Aquilo que você comtempla molda sua identidade e sua alma e isto é bíblico, pois pela contemplação somos transformados. Por exemplo, ao contemplar um fashionista, você irá querer ser como ele contemplando um neurótico por beleza, logo o imitará. Contemplando quem é do tipo mal educado, rapidamente agirá como ele. Simples assim! Olhe as pessoas, mas contemple apenas aquelas que antes de tudo contemplam a verdade. O apóstolo Paulo foi corajoso em dizer: “Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo” (I Coríntios 11:1). Ele jamais se mostraria como modelo se não tivesse certeza de que seu espelho inicial era sempre Deus.



  • Share:

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

14 comentários

comentário(s) pelo facebook:

  1. Concordo com você, sigo várias youtubers que citou no post. E é nítido a publicidade em muitos post. Pra mim muitas perderam a credibilidade, não confio tanto nas opiniões ou comentários sobre determinados produtos e serviços. bjs

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente com tudo que voce disse! Pra mim algumas perderam a credibilidade, foram corrompidas pelo dinheiro, prefiro seguir as menos famosas que falam a verdade sempre, como eu! kkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?falar a verdade eu nem sigo e nem seguiria elas pois são comprada por dinheiro realmente é melhor seguir quem não é famoso e ainda vão te receber com carinho.

    ResponderExcluir
  4. Isso é verdade.
    Eu até parei de ver alguns desses pelo fato da fama ter subido a "cabeça".. Espero que voltem a ser como eram

    ResponderExcluir
  5. Amei a sua reflexão no final, na verdade, eu amei tudo. Principalmente o fato de voce ser corajosa para falar isso abertamente, isso me deixa muito feliz. Muitas pessoas estão tão alienadas em coisas fúteis que se esquecem da simplicidade. Parabéns pelo post e sucesso para você. 😘

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que texto é esse hein? Tudo o que você disse é o que eu penso também. Muitas dessas pessoas só pensam no dinheiro e não no que aquele produto poderia fazer para alguém. E esse final...arrasou. O mais importante é sermos imitadores Dele

    ResponderExcluir
  7. Entre o bem e o mal graças a Deus que existe hoje as redes sociais, o que seria das empresas sem as redes...

    ResponderExcluir
  8. Eu entrei agora neste mundo e não sou a melhor pessoa para ter juizos de valores. Dos poucos dias que tenho já sinto algumas frustações.
    1. Este mundo está saturado;
    2. É difícil ser diferente (também depende se o queremos ser);
    3.Estamos claramente em desvantagem com esses influenciadores;
    4. É só publicidade. Deixei de acreditar em dicas e sugestões.
    5. Há poucas pessoas a dizerem realmente o que sentem e adaptam-se ao que os outros querem ouvir.
    Podia dizer muito mais mas termino a dizer que este é mundo mais difícil do que imaginei e por vezes muito solitário.

    ResponderExcluir
  9. Concordo plenamente com tudo o que disse! E esse foi um dos motivos por criar meu blog, para realmente testar produtos que gosto ou que tenho curiosidade de conhecer e sempre falar a minha verdadeira opinião! As blogueiras muito famosas, em principal as que citou, já perderam credibilidade

    ResponderExcluir
  10. Corcondo comtigo. Deixei de seguir algumas que foram levadas simplesmente pelo dinheiro. Beijos

    https://encantosdasil.blogspot.com.br/2017/12/receita-de-donuts-americano.html?m=0

    ResponderExcluir
  11. Verdade, muitas das quais estão hoje famosas vem criando um mundo mágico, e generalizando todas as blogueiras e Youtubers fazendo com que pensam que fazemos tudo pelo dinheiro

    ResponderExcluir
  12. Eu fico realmente incomodada quando vejo uma coisa que é nitidamente publicidade mas não foi declarada como.

    ResponderExcluir
  13. Não sigo muitos desses, para ser bem sincera, acho de uma futilidade ímpar em várias ocasiões... Minha filha de 13 anos gosta muito do Felipe Castanhari (acho que assim o nome), acho o canal dele muito informativo e engraçado... Traz curiosidades interessantes aos adolescentes...

    ResponderExcluir
  14. Olha só sigo só alguns dessas pessoas que citou e outras que não estão tanto na mídia, e falo que a opinião deles sobre determinado produto não me serve de nada. Pois, gosto de ter minha propria opinião sobre tal marca. Agora falar que não gostaria de receber os "mimos" que recebem estarei mentindo...

    ResponderExcluir